Acuidade Visual

Sua realização se reveste de especial importância pelo fato de que muito frequentemente uma pessoa que tem deficiência para a visão de detalhes não é capaz de percebê-lo, pois tem preservada sua capacidade de ver objetos grandes, o que lhe dá a falsa impressão de que sua visão é normal.

Além disso, muitas pessoas que nunca realizaram um exame oftalmológico e tem déficit visual leve pensam que sua visão está normal pela simples falta de parâmetro de comparação.

É o que comumente ocorre com crianças, que muitas vezes tem visão monocular – de apenas um olho – e pensam que isso é normal.

Pequenas dificuldades na visão podem também ser responsáveis por dor de cabeça, cansaço, perda de concentração e diminuição no rendimento do trabalho, criando um ônus adicional com exames dispendioso em busca do agente etiológico, bem como faltas ao trabalho para consultas médicas.

Além disso, a visão binocular – com os dois olhos simultaneamente – é necessária para atividades que exigem visão de profundidade, e seu déficit pode colocar em risco a integridade física do trabalhador em determinadas funções, aumentando em muito o risco de acidentes na operação de máquinas.

Adicionalmente, a visão de perto declina após os quarenta anos de idade, o que pode ser facilmente detectado no exame de acuidade e corrigido com o uso de óculos, permitindo que o desempenho do funcionário seja mantido sem perda da qualidade na execução de sua tarefa.

Quando detectada uma anomalia na acuidade visual, o trabalhador deve realizar exame oftalmológico completo para esclarecimento da alteração ocular presente, bem como os recursos necessários para corrigi-la.

Na grande maioria das vezes, o simples uso de óculos corrige as alterações, permitindo um grande benefício.

Por tratar-se de solução simples, e de baixo custo, a detecção de alterações na acuidade visual tem sua importância cada vez mais reconhecida até mesmo pelos próprios trabalhadores.